12-12
28

Operação em Deodápolis apura fraudes de beneficiários do auxílio emergencial

Criminosos criaram contas em nome de terceiros para conseguir beneficio

Por Enio Pedroso em 27/10/2021 às 15:45:00

Na manhã desta quarta-feira (27), a Polícia Federal cumpre mandado de prisão em Deodápolis, a 264 km de Campo Grande, no qual apura fraudes na aquisição do auxílio emergencial.

De acordo com a investigação, os criminosos criaram contas falsas no aplicativo "Caixa Tem", programa criado durante a pandemia da Covid-19 como um banco digital para pessoas de baixa renda, no qual é possível movimentar o dinheiro sem fazer saques em caixas eletrônicos.

Com as contas falsas, os investigados faziam o pagamento de boletos com os valores depositados pelo governo por meio do Auxílio Emergencial, programa econômico criado para ajudar pessoas de baixa renda durante a pandemia.

Em Deodápolis a polícia cumpre dois mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal. O objetivo é identificar a participação de outras pessoas envolvidas no esquema e, até mesmo, vítimas.

As investigações tiveram início em maio deste ano, depois de análise de informações que estão registradas na Base Nacional de Fraudes ao Auxílio Emergencial (BNFAE), no qual identificou criminosos que conseguiram a verba do Governo Federal.

As açõe que investigam fraudes em relação ao Auxílio Emergencial envolvem a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Caixa, Receita Federal, Tribunal de Contas da União (TCU) e Controladoria-Geral da União (CGU).

A operação foi batizada como Inescrupulosos, que faz alusão a forma que os criminosos realizaram a atuação, pois, mesmo diante de uma pandemia que já matou mais de 600 mil pessoas, encontram formas de fraudar auxílio que ajuda os mais carentes.

Comunicar erro

Comentários

Klin 1
NNOTICIA (ANUNCIAR CONOSCO)
NFM#1