NNOTICIA (ANUNCIAR CONOSCO)

Por ponte em Murtinho, Mato Grosso do Sul pedirá apoio ao Itamaraty

Por Redação em 19/04/2021 às 11:28:08

Foto: Reprodução

O governo de Mato Grosso do Sul acionou o Ministério das Relações Exteriores após ser informado sobre a suspensão da licitação de construção da ponte sobre o Rio Paraguai que unirá as cidades de Carmelo Peralta e Porto Murtinho.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, explicou que o Estado não foi informado sobre a possível suspensão do processo licitatório para construção da ponte e aguarda um novo cronograma de retomada da obra.

"O governo de Mato Grosso do Sul já entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores, requisitando que seja apresentado pelo Paraguai um novo cronograma para a obra. A ponte vai sair, até porque ela é a essência na rota bioceânica. Esperamos que a diplomacia brasileira faça um trabalho imediato neste sentido", informou ao Correio do Estado.

Verruck disse que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) encaminhou um ofício para que o Paraguai oficialize essa suspensão.

"Fomos informados pela imprensa. A nossa solicitação é que o governo paraguaio apresente um novo cronograma para a obra. A rota vai acontecer e a ponte tem de sair", alegou.

No início da semana, o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, anunciou a suspensão da licitação da ponte que será construída na cidade de Carmelo Peralta.

O adiamento ocorreu para que o dinheiro, cerca de US$ 30 milhões, que estava sendo usado para a construção da ponte, seja redirecionado na compra de remédios e insumos em função da crise de saúde instaurada por conta da Covid-19.

O presidente justificou que esse dinheiro é de extrema necessidade para o país, que está passando por um de seus piores momentos da pandemia.

"Estou levando em conta as possíveis necessidades do nosso sistema de saúde. Damos prioridade ao que hoje é mais importante e por isso a instrução de postergar a licitação para a construção da ponte", disse Benítez em entrevista coletiva.

Com o agravamento da pandemia, o Paraguai está sob pressão máxima por conta do colapso no sistema de saúde. O país já registrou 244.528 infecções pela doença e curados somam 200.259. Desde o início da crise sanitária, 5.110 mortes foram confirmadas por Covid-19.

PONTE

Considerado o principal projeto para efetivar a rota bioceânica, a ponte sobre o Rio Paraguai, que vai ligar as cidades de Porto Murtinho e Carmelo Peralta, terá um investimento previsto de US$ 82 milhões de dólares.

A ponte vai dispor de 680 metros de comprimento, com 380 metros de luz livre, 22 metros de altura, duas torres com 100 metros de altura e viadutos de 150 metros em ambos os lados, o que vai permitir a navegabilidade do Rio Paraguai.

A estrutura terá duas pistas de rolagem de veículos de passeio e caminhões, com 12,5 m de largura, além de duas passagens nas laterais, com 2,5 m cada uma, para o trânsito de pedestres e ciclistas.

No mês passado, foi publicado um edital de licitação pública para definir qual seria o consórcio de empresas que assumiria a obra, tendo inclusive marcado para o dia 26 de abril a abertura das propostas. A expectativa é de que a obra fosse concluída até julho de 2024.

"Teremos um atraso no processo licitatório, porém, ele continua. Não temos ainda uma estimativa do atraso, acredito que seja em volta de três meses, o que precisamos agora é definir um cronograma".

O acordo previsto entre Brasil e Paraguai definiu que a travessia será construída com recursos da usina hidrelétrica Itaipu Binacional Paraguay.

Verruck pontua que a medida precisava ser decidida em comum acordo, visto que o dinheiro era direcionado para a execução do projeto.

"O Paraguai realocou o dinheiro que seria usado na construção da ponte para outras finalidades. O dinheiro é para a construção, com isso o presidente precisa retomar o processo licitatório. Existe um acordo internacional entre os dois países. O presidente não poderia tomar a decisão unilateral. Não fomos comunicados de nada", destacou o titular da Semagro.

Um dos objetivos da construção dessa ponte é o desenvolvimento das áreas que há muito tempo vêm sendo esquecidas pelas autoridades. A ponte vai interligar Mato Grosso do Sul aos portos chilenos e poderá encurtar a distância para a exportação de produtos para a Ásia, principalmente a China.

ROTA BIOCEÂNICA

A Rota Bioceânica integra os países do Chile, Argentina, Paraguai e Brasil, liga o Oceano Pacífico ao Oceano Atlântico e também passa por Mato Grosso do Sul, no trecho Porto Murtinho – Campo Grande, seguindo até o porto de Antofagasta, no Chile.

Fonte: Porto Murtinho Notícias

Comunicar erro
NFM#1

Comentários

Klin 1