Braz dá respaldo para Domènec Torrent no Flamengo: "Ele precisa de tempo"

Por Rafael Ramires Celestino Pinheiro em 19/09/2020 às 17:11:28

A diretoria do Flamengo decidiu que não vai demitir o treinador Domènec Torrent após a goleada sofrida pelo Independiente del Valle por 5 a 0, na última quinta-feira, em partida válida pela Copa Libertadores. Em entrevista coletiva deste sábado, 19, o vice-presidente de futebol, Marcos Braz, garantiu que não realizará uma "caça às bruxas" e que dará mais respaldo ao técnico espanhol. "Em nenhum momento foi discutida a saída do Dome", assegurou o mandatário. A pior derrota do atual campeão em sua história na Libertadores fez o ambiente ferver no Rubro-Negro. Muitos torcedores e até alguns grupos políticos no clube definiram o treinador como "o grande culpado" da má fase e exigem sua saída.

O dirigente assegurou, porém, que isso não acontecerá. "Eu não vou fazer análise em cima de derrota. Essa diretoria não faz análise em cima de derrota, faz planejamento, e eu acho que deu certo os planejamentos que estão sendo feitos", disse Braz. "O Dome está no nosso planejamento, nunca discutimos a saída", emendou. Por vezes, Braz afirmou ser necessário tempo para avaliação do trabalho e também para ver seus resultados. Garantiu que o vestiário está unido e que a relação do elenco com Domènec é boa."Tem de ter tranquilidade, a gente não erra em tudo", falou. "Precisamos caminhar, reverter esse momento e temos confiança nisso. Foi um desconforto, mas passou. Entendo a torcida, mas temos que ter frieza. Ele precisa de tempo, e será dado", ressaltou.

Leia também

Sem 'mesmas condições para todos, não entraremos em campo', diz Andrés sobre liberação de torcida no RJ

Prefeitura do Rio anuncia volta do público ao Maracanã em outubro

Spimpolo critica 'desculpas' e dispara: 'Diniz, você só conhece a Libertadores pela TV'

Braz não escondeu que todos ficaram incrédulos e chateados com a goleada, sobretudo o treinador espanhol. "Lógico que o Dome demonstrou descontentamento, dentro do vestiário ele estava louco", reconheceu, dividindo a culpa entre todos, inclusive com o elenco. "A parcela de culpa é igual, a minha, a da diretoria, é toda igual". O dirigente mostrou confiança no trabalho, crê que colherá frutos e avisou que não vai ceder às cobranças. "Entendo o descontentamento de todo mundo, da torcida, de pessoas no clube. Mas unidos como estamos, creio em resultados melhores".

*Com informações do Estadão Conteúdo

Fonte: JP

NNOTICIA (ANUNCIAR CONOSCO)
NFM#1

Comentários

Klin 1