NNOTICIA (ANUNCIAR CONOSCO)

Moro conta que ouviu no Planalto que soltura de Lula era boa para Bolsonaro

Ex-ministro falou detalhes em entrevista a Crusoé

Por UOL - SP em 29/05/2020 às 15:13:12

Foto: Ilustrativa

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro disse, em entrevista à revista Crusoé, que ouviu de pessoas no Palácio do Planalto que a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2019 era boa para politicamente para o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Moro afirmou que "ficaria devendo a informação" de quem fez o comentário, mas mostrou reprovação à análise. Antes de assumir o ministério, ele se notabilizou como juiz na Operação Lava Jato e condenou Lula à prisão na primeira instância.

? "O que se dizia no Planalto era que a soltura do Lula era bom politicamente para o presidente. Isso foi dito. Eu sou um homem de justiça, um homem de lei, e não acho que é um cálculo político deve ser envolvido nisso", disse, sem detalhar a análise de dentro do Planalto de que a liberação do ex-presidente era boa politicamente para Bolsonaro. Moro foi o juiz responsável pela sentença em primeira instância que mais tarde, também confirmada e com pena elevada pelo TRF-4, levou Lula à prisão entre abril de 2018 e novembro de 2019 pelo caso do tríplex no Guarujá. A condenação do ex-presidente pelo caso de Atibaia aconteceu quando o ex-juiz já havia deixado o cargo em Curitiba para as para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública no governo de Bolsonaro.

Lula deixou a prisão beneficiado por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que, em julgamento finalizado em novembro de 2019, proibiu prisão após condenação em segunda instância, caso de Lula.

Na entrevista à revista Crusoé, Moro também disse que não pensa, no momento, em ser candidato à Presidência em 2022. Segundo o ex-ministro, não há como discutir o assunto em meio a uma pandemia. "Pensar nisso é um negócio absolutamente inapropriado no momento". Ele ainda disse que especulações sobre uma possível candidatura o acompanham desde a época de juiz. "Só me prejudicam".

Sua prioridade é se reinventar. "É uma questão que nem passa pela minha cabeça no momento, eu preciso me reinventar, de certa maneira também preciso me proteger de vários aspectos. É uma ilusão pensar pensar neste tipo de situação".

Fonte: UOL

NFM#1

Comentários

Klin 1